Ayla – A filha das cavernas

ayla-02Hoje vou falar um pouquinho desse livro incrível: AylaA filha das cavernas de Jean M. Auel. É o primeiro de cinco livros da saga Os filhos da Terra. Mas antes de falar da história, vou contar como conheci este livro. Na época do TCC, eu estava bem perdida em relação ao tema. Mesmo assim, defini um tema que julguei interessante e fui atrás de uma orientadora, mesmo sem nenhuma experiência sobre o assunto.

A professora logo me questionou sobre minha experiência em relação ao tema que eu tinha escolhido. Ela me perguntou com que eu trabalhava, e eu contei um pouco sobre minha rotina com as crianças da creche. Ela, muito experiente e sensível, logo identificou um tema, que tinha muito a ver com a minha experiência com a educação infantil e também tinha muito a ver comigo: resiliência. Mais pra frente vou fazer um post somente sobre resiliência, pois o conceito ainda é muito mal disseminado.

Enfim, entre uma reunião e outra, ela me perguntou se eu gostava de ler e que tipo de livro. Eu disse que sim, e que eu estava lendo Crime e Castigo do Dostoiévski (aqui no blog tem um post sobre esse livro que retornei a ler este ano). Ela me indicou a Alya, disse que era uma história bonita e que tinha muito a ver com o tema que eu estava estudando. Foi então que larguei Crime e Castigo e comecei a ler a Ayla. Só posso dizer que valeu muito a pena ter lido esse livro.

ayla-01

A história acontece a cerca de 35 mil anos atrás e conta as aventuras e desventuras de uma menina que se perde do seu clã, após um grande terremoto. Ela é encontrada por um outro clã, menos evoluído que o seu. Ela não é muito bem-vinda pelos membros do grupo, e muito mais do que adaptar-se à nova cultura, Ayla encontra muitos desafios e sofrimento pelo caminho.

Todo o ambiente é descrito de uma forma minuciosa e os personagens são bem interessantes. Mas, o mais legal mesmo é o desenrolar de cada situação, as descobertas e escolhas da Ayla. Só de lembrar me deu vontade de reler..rs

É isso aí, se vocês já leram esse livro, cometem!!

Beijos!

Anúncios

Licenciada em Educação Física – Finalmente!!!

colacao-04Ontem foi a minha colação de grau. Finalmente, depois de tanto tempo consegui o bendito diploma!!! O juramento, a leitura das homenagens e mensagens foram momentos que me fizeram refletir sobre escolhas, responsabilidades, sonhos, família e esperanças.

A professora Elaine leu, bonito como só ela lê, um trecho de Paulo Freire:

“Não posso ser professor se não percebo cada vez melhor que, por não poder ser neutra, minha prática exige de mim uma definição. Uma tomada de posição. Decisão. Ruptura. Exige de mim que escolha entre isto e aquilo.

Não posso ser professor a favor de quem quer que seja e a favor de não importa o quê.

Não posso ser professor a favor simplesmente do homem ou da humanidade, frase de uma vaguidade demasiado contrastante com a concretude da prática educativa.

Sou professor a favor da decência contra o despudor, a favor da liberdade contra o autoritarismo, da autoridade contra a licenciosidade, da democracia contra a ditadura de direita ou de esquerda.

Sou professor a favor da luta constante contra qualquer forma de discriminação, contra a dominação econômica dos indivíduos ou das classes sociais.

Sou professor contra a ordem capitalista vigente que inventou esta aberração: a miséria na fartura.

Sou professor a favor da esperança que me anima apesar de tudo. Sou professor contra o desengano que me consome e imobiliza.

Sou professor a favor da boniteza de minha própria prática, boniteza que dela some se não cuido do saber que devo ensinar, se não brigo por este saber, se não luto pelas condições materiais necessárias sem as quais meu corpo, descuidado, corre o risco de se amofinar e de já não ser o testemunho que deve ser de lutador pertinaz, que cansa mas não desiste. Boniteza que se esvai de minha prática se, cheio de mim mesmo, arrogante e desdenhoso dos alunos, não canso de me admirar.”
(Paulo Freire em Pedagogia da Autonomia, São Paulo, Paz e Terra, 2011)

Não tem como não parar e pensar em todas essas palavras de Paulo Freire. Nossa responsabilidade de não se omitir… nossa incapacidade de se indignar….tenho muitas coisas pra pensar!!!

colacao-03

Bom, continuando…o professor Edison (acho que foi ele rs) leu:

“A utopia está no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte se distancia dez passos mais além. Para que serve a utopia? Serve para isso: para caminhar.”

(Eduardo Galeano)

colacao-02

Enfim, desejo a todos nós mais utopias!!!

Sou muito grata aos professores, amigos, colegas, funcionários e principalmente minha família. Obrigada a toda essa gente que está sempre torcendo por mim e me apoiando para que eu continue a caminhar…

Colação de Grau

Amanhã acontecerá minha colação de grau. Finalmente estou me formando em Educação Física – Licenciatura. Foram longos 7 anos de estudos, experiências loucas, momentos bons e ruins, estágios intermináveis, provas e trabalhos, sem falar no TCC. Enfim, esse era um sonho, praticamente um delírio, que conquistei e está acabando. Sou muito grata por tudo que aprendi na faculdade, principalmente através de professores e de colegas que estavam sempre dispostos em provocar reflexões.

Certamente, a colação é apenas uma formalidade. Contudo, para os formandos é uma data que marca o fim de um ciclo e início de outro.

Vou ficar com saudades de tudo e de todos! Obrigada aos professores, colegas e funcionários da FEF – Unicamp.

Forte abraço e boa sorte para todos nós!